terça-feira, 25 de setembro de 2012


‎"Gostos"

Gosto dos pensamentos extraordinários
e de sonhar com lugares inexistentes
ou existentes nos meus conturbados
universos de versos e de ilusões.

Gosto do vento na hora do crepúsculo
e de contar as estrelas surgindo no céu
de minha boca ou do mesmo firmamento
onde eu voo pelas noites extravagantes.

Gosto do sol amanhecendo e iluminando
as frestas das janelas e as borboletas
que ainda dormem encasuladas e mutantes,
gosto de contemplar todas as metamorfoses.

Gosto de escrever poesias e de gritar no vazio
desses campos de supernovas e galáxias em colisão,
caos e organização se movimentando alternados
regendo as transformações das almas e dos jardins.

Gosto do gosto das pétalas amanhecidas
e das cores exuberantes das orquídeas
as cores dos olhos daquela menina solitária
olhos tão verdes como as florestas e o mar.

Gosto do seu tilintar na janela amigo passarinho
e do gorjear entardecido nos galhos do abacateiro
é o sabiá ainda menino crescendo junto de mim
é o meu gostar simples e enternecido pelos jasmins.

E vou seguindo por entre as estrofes da minha senda
gostando das dores e das flores, as vezes desgostando
daqueles que maltrataram os antigos cedros e juás
mas, a natureza continuará seguindo mesmo se eu partir...


Jonas R. Sanches
Imagem: Google

Jonas é autor dos livros:

"Alquimia Poética", "Trilhas de Luz" e "Nas Asas da Poesia".

DELMA DE SOUSA

Eu olhava esse menino, com um prazer de companhia, como nunca por ninguém eu não tinha sentido. Achava que ele era muito diferente, gostei daquelas finas feições, a voz mesma, muito leve, muito aprazível. Porque ele falava sem mudança, nem intenção, sem sobêjo de esforço, fazia de conversar uma conversinha adulta e antiga. Fui recebendo em mim um desejo que ele não fosse mais embora, mas ficasse, sobre as horas, e assim como estava sendo, sem parolagem miúda, sem brincadeira? só meu companheiro amigo desconhecido. [?] Mas eu aguentei o aque do olhar dele. Aqueles olhos então foram ficando bons, retomando brilho. E o menino pôs a mão na minha. Encostava e ficava fazendo parte melhor da minha pele, no profundo, désse as minhas carnes alguma coisa.

Guimarães Rosa

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

(....)Á raça dos desassossegados pertencemos todos negros brancos,ricos e pobre
s , jovens e velhos desde que tenhamos , a inquietação desta raça comum ,a inquietação qque nos torna insuportavelmente exigentes com a gente mesmo e a ambição de vencer não os jogos , mas o tempo , este adversário implacavel .
desassogados do mundo correm atráz da felicidade improvável ,aquela que ninguem nunca viu , e por isso sua raridade .
desassogados amam com atropelo , cultivam fantasias irreais de amores sublimes , fartos e eternos são sabiamentes apressados , cheios de ânsias e desejos , amam muito mais mais do que necessitam e recebem menos amor do planejavam .
dessassogados pensam acordados e dormindo , pensam falando e escutando , pensam ao acordar e, quando dircordam , pensam que pensa melhor , e pensam com clareza uns dias e com a mente turva em outros , e pensam tanto pensam que descansam .
desassossegados não ´podem mais ver o telejornal que choram , não podem sair mais ás ruas que temem , não podem aceitar tanta gente crua habitando os topos das pirâmides e tanta gente cozida em filas em madrugadas e no silêncio dos bueiros .
desassossegados vestem-se de qualquer jeito ,arrancam a pele dos dedos com os dentes , homens e mulheres soterrados , cavando uma abertura , tentando abrir uma janela emperrada , inventando uns desafios diferentes para sentir sua vida empurrada ,desassossegados voltados para frente .
desassossegados desconfiam de si mesmos , se acusam e se defendem , contradizem -se as leis e seus próprios conceitos , tumultuados e irresistiveis seres que latajam .
desassossegados t~em insônia são gentis , lhes incomodam as verdades imutáveis , riem quando bebem , não enjoam , ficam tontos com tamtam idéias soltam , com tamanha esquizofrenia , não se acomodam em rede , leito , lamentam a falta que faz uma paz inconsciente .
deta raça somos todos , eu sou , sô sossego quando me deito....Martha Medeiros .........finalmente alguem me definiu .....ufa .......que alivio ....

terça-feira, 18 de setembro de 2012

Perdas e recomeços
Já é sabido que as coisas duram o tempo que têm que durar e por mais que muitas vezes o término delas nos pareça injusto, desnecessário ou até mesmo fatal,
é preciso que aceitemos os rompimentos que a vida nos impõe.
Isso

, no entanto, não impede que dentro de nós precisemos
de um tempo para digerir as perdas.
Mágoa, tristeza, vazio, angústia, revolta, insegurança, cada um desses sentimentos requer um tempo para que possa se acalmar dentro de nós.
Ninguém sai ileso do encerramento de etapas desgastantes da vida e o coração suplica por um espaço para regenerar-se, reconstruir-se.
O gosto amargo que fica na boca, a sensação de fracasso, a tristeza muitas
vezes embutida dentro do peito são aflitivas, porém, naturais
e fazem parte desse processo doloroso.
É imprescindível que um período de luto seja vivido para que depois voltemos a renascer para a vida. Não me refiro a duras depressões, embora muitas vezes elas sejam inevitáveis, o que desejo pontuar é que todo ser humano quando enfrenta suas perdas tem direito ao silêncio, ao recolhimento e ao respeito por parte de terceiros. Tantas vezes os "terceiros" na ânsia de ajudar se tornam inconvenientes, insistentes, excessivamente presentes. Falta-lhes a sensibilidade,
a compreensão, a delicadeza nas palavras, o apoio na medida certa.
Ninguém se recupera de um tombo correndo em maratonas, isso seria forçar demais a natureza. Um tombo sempre gera feridas e que sejam superficiais ou profundas, não importa, elas precisam ser tratadas até cicatrizarem.
Caso você esteja com feridas ou até mesmo fraturas expostas, cuide delas com carinho, sem pressa, sem ansiedades e tenha a certeza que você vai
se recuperar, o tempo é o grande remédio para isso.
Caso você esteja próximo de uma pessoa que está vivendo essa situação
ofereça- lhe medicamentos capazes de ajudá-la a se curar. Respeito, confiança, companhia dentro de limites, força e tente guiá-la até o caminho da fé pois
nesses momentos as pessoas tendem a se distanciar dela.
E tenha uma certeza, um sorriso sincero valerá bem mais que uma gargalhada espalhafatosa, uma única palavra pode ser mais valiosa do que horas de uma conversa fútil e um afago terá um valor imensurável.
As perdas que vamos tendo no decorrer da nossa efêmera existência na verdade não são perdas, elas existem apenas para que tudo que já se encontra com
o prazo de validade vencido dentro da nossa vida seja removido a fim
de dar espaço a novos recomeços.

[Silvana Duboc]

My Blog List


"Minha teoria é simples. Meu sentir é exagerado. Me jogo, me lasco, me entrego, me esfolo inteira. Melhor do que viver pela metade. Amar pela metade. Acreditar pela metade. Pra tombo há remédio, há refazer. Pra sonho desperdiçado, não."

A SEMPRE UM RESTO DE PERFUME UM TRAÇO DE BELEZA ANTIGA...
a significação é invisivel, mas o invisivel não esta em contradição com o visivel .o visivel tem uma estrutura interna invisivel, e o invisivel é o contraponto secreto do visivel
as pessoas sempre descobre seu próprio mistério a custa de sua inocência..........

Recent Posts

Introduction

Recent Comments


para não perder esse riso largo e esta simpatia estampada no rosto

beatrix - ppoter escritora de contos infantis que encanta adultos...


porque a maior dor do vento é não ser colorido.
Loading...